quarta-feira, 6 de junho de 2018

Adeus dói

Desculpa estar enviando esta mensagem pela Internet, mas pessoalmente não consegui falar. Tentei quatro vezes esta semana e mais quatro na outra. Quando chega a hora H, olho para ti e tranca tudo. Sabes exatamente como me manipular, ora pedindo desculpas com voz sedutora, dizendo que está numa fase difícil e vais mudar, ora me contradizendo tentando mostrar que sabes mais do que eu, e de nada adiantaria tentar me explicar, pois não compreenderia.

Também não foi fácil escrever. Não sei se por fraqueza, orgulho ou qualquer outra insegurança, precisei de duas taças de vinho para tomar coragem. Esta é uma carta de despedida, e dar adeus nunca é fácil. Escrevi frases que me envergonhei. Culpava, acusava, injuriava, e nem de longe era esta a minha intenção. Deletei centenas de vezes. Não sei como pude ficar tanto tempo sentindo o coração chorar, sem conseguir expressar com palavras aquilo que sangrava dentro de mim. Não me queira mal, estou botando fora aquilo que me machuca e nos afasta.


Ao longo dos últimos meses, na tentativa de preservar nosso relacionamento, consenti com situações que meu coração não desejava, fiz coisas que minha alma não queria, disse coisas que meu cérebro não tinha vontade. Não pude ser quem sou de verdade, tampouco dizer o que sentia lá no fundo. Assumo minha dificuldade e sei que por conta disso, também sou responsável por teu comportamento comigo.

O fato é que não consigo sentir tuas palavras de amor. Dizes que me amas, que vamos ficar juntos para sempre, mas não mostras nada que tua boca tão bem sabe pronunciar. Sequer teus olhos seguem teu discurso. Falas comigo, mas tua cabeça está em outro lugar. Tens segredos que não podes contar, desconfias de mim, não fazes planos para o futuro, não te dedicas, ficas distante. Estar perto é algo físico, estar junto é sentimento. Transito entre o céu da tua boca e o inferno de tua frieza. Nenhum te amo é mais poderoso que um estou aqui contigo. Queria que demonstrasses teu amor. De qualquer forma. Fazendo, desejando, estando, sendo, cuidando, pensando, preocupando, dedicando, e, acima de tudo, se entregando.

Não sei o que te prende a mim. Talvez seja o hábito, preguiça em começar tudo de novo, medo de ficar sozinho ou, até mesmo, a falta de algo melhor. Às vezes tenho a impressão que teu coração ainda está preenchido por um amor antigo ou busca por algo novo. Já não me dás tanta atenção, não me desejas como antes, não me esperas, não mandas mais mensagens, não sorri quando me encontra, beijas sem gosto. Estás sempre ocupado com alguma coisa. Estás comigo, mas não estás. De nada me serve a promessa de um amor eterno se não o tenho aqui e agora. Não me agarras, nem me largas.

Sentir amor é uma coisa, amar é outra. Sentir amor é fácil, não é preciso fazer nada, só deixar acontecer. Amar já é mais difícil, é a parte trabalhosa, exige dedicação, atenção, conexão. Para amar é preciso ter vontade. De tudo, principalmente de continuar. Talvez nosso amor seja focado mais para o sentir que para o amar. Talvez tenhamos amado para sermos amados, quando deveríamos ter amado por amar.

Há mil e uma formas de amar, cada um tem a sua, e não existe a fórmula perfeita. O único amor errado é o meio amor, aquele que não é vivido por inteiro. Nossos amores não estão mais se comunicando. Estamos sempre a meia distância. Nossas conversas são mornas, nossas dúvidas ficam sem resposta, nossos silêncios me torturam. Não nos encaixamos, não nos completamos, não somamos, não dividimos. Deixou-me ir tão longe, que nos perdemos de vista. Sinto-me sozinha, não quero mais ficar assim.

Provavelmente a recíproca seja verdadeira. Dói-me saber que podíamos e não fizemos. Dói-me deixar um sonho se perder. Dói-me o que não amei. Gosto muito de ti, mas não deixei de gostar de mim. Não quero mais me iludir, chega de correr para lado nenhum. Não estou desistindo, apenas deixei de querer. Não estou fugindo, mas também não quero mais ficar a tua espera.

Li e re-li esta mensagem até não mais poder. Chorei o bastante. Em cada leitura, imaginava tua reação e ficava cada vez mais triste. Acho que este processo me preparou para a despedida. Precisei muito de você pra deixar de precisar de você. Quando as lágrimas secaram de vez, decidi que era hora de postar, mas faltou energia, coragem, força, determinação. Faltou tudo, até você. Tremulando, com o estomago embrulhado, decidi colocar no automático do computador para enviar às dezessete horas, quando já estarias fora do trabalho.

Seria mais sensato se a conversa acontecesse no sofá da sala, olho no olho, mão com mão, finalizando com um longo e derradeiro abraço. Não há mais clima, não tenho estrutura, não iria rolar. Além disso, nunca fomos sensatos. Não é a melhor maneira, sei bem, mas é a que menos dói.

O pior das palavras é sentir as que ficaram por dizer ou se perderam no tempo. Se antes interpretava teu silêncio e distanciamento como desinteresse, a partir de agora, entenderei como respeito e aceitação dos fatos.

Estou indo. Queria que fossemos possíveis, mas não deu. Dividimos momentos fantásticos, nos misturamos tanto, que fica impossível separar sem que um leve parte do outro. Deixastes marcas profundas. Boas e más. Toda minha roupa tem teu cheiro. Muito você vai levar, muito deixou. Se hoje sou quem sou, e gosto de quem sou, também o devo a ti.

Agradeço-te por me acompanhar e trazer até aqui. Felizmente não preciso te esquecer para seguir vivendo. Vou arranjar um lugar em mim para te guardar com muito carinho. Cada vez que disser te amo para outro, terás uma parcela nesta conquista. Tua ausência me fez crescer. Vou sentir saudade, mas para o nosso bem, precisamos dizer adeus. Não se trata de sucesso ou fracasso, mesmo assim, peço desculpas por desperdiçar nosso sonho de amor. Peço perdão por cada um dos dias que vivemos em mundos diferentes, por não termos sido tudo que poderíamos e por não ter tentado mais mil vezes.  Perdemos os dois. Mas vamos nos achar.   


Crônica inspirada no romance do escritor português Raul Minh`alma, Larga quem não te agarra. 




8 comentários:

  1. Quando a gente ama é claro que a gente cuida,
    fala que me ama, só que é da boca pra fora,
    ou você me engana ou não está maduro,
    onde está você agora?

    ResponderExcluir
  2. Dizer adeus dói mesmo. Por mais que o casal queira e pense continuar se dando bem, a palavra adeus já diz tudo. Não é um até mais ou um até breve ou um tchau. É um adeus. Dói pra caramba. Carla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tanto faz se o adeus é por email, carta ou ao vivo. Adeus é adeus.

      Excluir
  3. Tenho um caso com um homem casado a bastante tempo. Ele fica sempre me enrolando com sua voz sedutora dizendo q vai largar a mulher e ficar comigo. Não me agarra nem me larga. Sua carta caiu como uma luva para mim. Não sabia como dizer para ele q estava cansada, mas agora mesmo vou enviar uma copia pra ele. Acabou. Obrigado pela sua ajuda. O sr devia publicar esta carta num jornal, iria salvar ou terminar muitos relacionamentos doentes.

    ResponderExcluir
  4. Pra mim, Adeus significa que não vais mais estar comigo,vais estar em um lugar melhor, vais a Deus. Camilo

    ResponderExcluir
  5. As vezes um até logo se transforma num adeus e outras vezes um adeus vira um até breve. Não somos donos do destino, mas podemos tentar estar preparados para todos os adeus que vierem.

    ResponderExcluir
  6. Acho uma puta sacanagem romper por telefone ou email. Dividiu a cama com o cara e agora não tem coragem de olhar no olho pra terminar. Esta mulherzinha não vale nada. O discurso dela é bonito, mas ela é fraca. James

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ou mais provável, sem vergonha, mau caráter.

      Excluir